Os métodos que descrevo, são apropriados ao espaço que tenho, à disponibilidade de tempo e ao que pretendo com os meus canários, sendo que cada criador os deverá adaptar conforme os seus objectivos.

sexta-feira, 4 de maio de 2007

Separação dos filhotes


Este artigo pretende mostrar um método de separar os filhotes dos pais, sem que se tenha problemas de maior. Os principais problemas que acontecem são os constantes ataques que os pais fazem aos seus filhotes, e uma separação precoce não permitindo que os filhotes aprendam a comer suficientemente, muitas vezes levando-os à morte, ou obrigando-nos a alimentá-los manualmente.

Um dos métodos baseia-se em separar a fêmea da gaiola de criação, pondo-a noutra (sem ninho), quando os primeiros filhotes estão entre o 30º e o 35º dia de vida. Deixa-se apenas o macho na gaiola, para que ele termine o trabalho de alimentar e ensinar os seus filhotes.

Após 10 dias aproximadamente, já é possível separar todos os filhotes alimentando-se correctamente e, sem que os mesmos tenham sido atacados pela mãe que anseia construir novo ninho. Logo de seguida coloca-se novamente a fêmea na gaiola que contém o macho e verifica-se que em função do pequeno período que o casal esteve separado, a fêmea está mais fortalecida e alimentada para iniciar um novo ciclo de postura e criação.

Em casos de machos indiferentes pela tarefa de alimentação, pode optar-se por separar o macho e deixar as crias com a fêmea, contudo esta não estará tão bem fortalecida para uma nova tarefa de criação, pois não passou pelo período de repouso.
Ricardo Ferreira

1 comentário:

juliana disse...

olá Ricardo,
em meu caso não hove esse tempo dos 30 a 35 dias, pois meus filhotes tem cerca de 20 e poucos dias e a fêmea já está pondo novos ovos. Nem sei o que fazer, honestamente!

Os métodos que descrevo, são apropriados ao espaço que tenho, à disponibilidade de tempo e ao que pretendo com os meus canários, sendo que cada criador os deverá adaptar conforme os seus objectivos.