Os métodos que descrevo, são apropriados ao espaço que tenho, à disponibilidade de tempo e ao que pretendo com os meus canários, sendo que cada criador os deverá adaptar conforme os seus objectivos.

domingo, 9 de dezembro de 2007

O meu pequeno Forpus...

No passado mês de Novembro, foi-me gentilmente oferecido um Forpus, pelo presidente da AOC, Sr. Vilela.
Como só crio canários, este pequeno psitacideo é unicamente para eu domesticar.
Para tal foi necessário tira-lo do ninho ainda relativamente novo, mais propriamente quando começam a aparecer as primeiras penas.



Chama-se «Pidgy» e tornou-se a mascote da família, pois é muito mimado e só quer andar nos nossos ombros zangando-se quando o tiramos.



Este pequeno psitacideo com mais ou menos 13 cm é oriundo do nordeste do Peru e nordeste Equatorial, onde se observam em bandos por volta de duas dezenas de exemplares enquanto se alimentam de sementes, bagas e frutos.



A semelhança com os Papagaios não se fica pelo aspecto, estas aves, quando criadas à mão, ou habituadas a conviver com os humanos desde muito pequenas, dão animais de estimação excelentes. São muito inteligentes, curiosos e conseguem reconhecer as pessoas.



Tal como qualquer Papagaio, quando domesticado, não suporta a solidão, requerendo muita atenção por parte do dono.



Por tudo isto, o meu muito obrigado Sr. Vilela.
Ricardo Ferreira

1 comentário:

moranguito_Edu disse...

Olá,eu tambem sou criador de canários mas também estou a domesticar dois agapornis...tenho que lhe dar os parabens pelo blog!Se quiser passar pelo meu esteja á vontade!


Um abraço:

Eduardo

Os métodos que descrevo, são apropriados ao espaço que tenho, à disponibilidade de tempo e ao que pretendo com os meus canários, sendo que cada criador os deverá adaptar conforme os seus objectivos.